Destaque

Sobre instalação dos programas

Olá,

Frequentemente nos meus post’s deste blog, eu uso o apt-get (ou apt-fast) para ensiná-los como instalar algum programa que eu usarei, porém pode acontecer de as dicas e/ou tutoriais que eu apresentar sejam gerais, portanto sintam-se a vontade de verificar se o pacote em questão está disponível em sua distribuição usando o método que mais lhe convenha para instalá-lo!

Até mais.

Sponsored Post Learn from the experts: Create a successful blog with our brand new courseThe WordPress.com Blog

Are you new to blogging, and do you want step-by-step guidance on how to publish and grow your blog? Learn more about our new Blogging for Beginners course and get 50% off through December 10th.

WordPress.com is excited to announce our newest offering: a course just for beginning bloggers where you’ll learn everything you need to know about blogging from the most trusted experts in the industry. We have helped millions of blogs get up and running, we know what works, and we want you to to know everything we know. This course provides all the fundamental skills and inspiration you need to get your blog started, an interactive community forum, and content updated annually.

Apresentando PDFs de uma forma diferente

Olá,

neste post irei mostrar uma ferramenta bem interessante para apresentação de PDFs. Ela se chama PDFcube.

Para instalar (no ubuntu) basta:

# sudo apt-get install pdfcube

ou então visite a página do projeto para baixar o código fonte.

Assim que a instalação terminar você poderá testar a ferramente em qualquer arquivo pdf que possua com o comando:

$ pdfcube seu_aquivo.pdf

Para interagir basta digitar uma dessas teclas de atalho:

a, c, z, h, j, k, l

e para sair

 ESC 

Aqui vai um vídeo demonstrando a ferramenta:

Incluir Código Fonte no LATEX

Olá,

recentemente tive que incluir alguns códigos-fonte em um documento que estava escrevendo no Latex, e ai veio a pergunta: como fazer isso de uma forma simples e bonita?

A resposta veio com a inclusão do pacote listings. Basta colocar no seu preâmbulo:

\usepackage{listings}

Agora podemos tanto incluir um arquivo contendo o código desejado ou inserir o trecho manualmente

  • Para incluir um arquivo:
    \lstinputlisting{filename}
  • Para incluir o trecho de código desejado:
    \begin{lstlisting} código vai aqui \end{lstlisting}

Além disso podemos customizar um pouco as opções de cores, tamanho de fonte, numeração de linha, qual linguagem de programação será exibida entre outras coisas. Aqui vai um exemplo:

\lstset{language=Fortran,
             basicstyle=\footnotesize,
             numbers=left,
             numberstyle=\footnotesize,
             frame=shadowbox,
             rulesepcolor=\color{blue}}
\begin{lstlisting}
SQUARE(REFERENCE,LENGTH,POT_INT,ATTRIB)
\end{lstlisting}

Isso produzirá a seguinte saida:

Isso foi só uma introdução, neste arquivo você poderá encontrar a referência completa para este pacote.

Espero que tenha ajudado e qualquer coisa é só deixar um comentário!

Fonte: LaTeX Matter

E-Book grátis de Computação Paralela

Olá,

hoje me deparei com um e-book chamado “Programming on Parallel Machines” escrito por Norman Matlo ff da University of California at Davis.

Vale a pena ter o link favoritado e vez ou outra visitá-lo.

Curso de Django no YouTube

Olá pessoal,

acabei de ver aqui no site BR-Linux.org que existe uma playlist no YouTube que é um curso de Desenvolvimente Web com Python e Django. Ultimamente tenho me aventurado com o Django e achei bem interessante.

Pra que quer conferir ai vai o link.

 

Espero que gostem!

Ciência

Primeiro post desta nova série que denominarei “Divulgação Científica”, nela tentarei colocar algumas notícias/videos/artigos e coisas do gênero sobre divulgação científica e afins.

O primeiro vai ser um trecho de uma série/documentário que chama “Brave New World With Stephen Hawking”:

“…Para mim, o maior feito da ciência é permitir que a humanidade veja que nosso mundo é compreensível. Que por meio da ciência e do pensamento racional, podemos entender como o Universo funciona. Se você não entende como o mundo funciona, então tudo passa a ser um mistério. Se tudo é mágico e misterioso, então você passa a deixar de usar a lógica. E tudo se resume a crer. Nossa sanidade depende do conhecimento do que ocorre à nossa volta. Que não é apenas questão de destino, que há razão para muitas coisas. A razão é ciência. Compreender a razão das coisas é ciência…”

Avance até 34min33seg

Espero que gostem!

Estou aberto à sugestões

Habilitando “Outro” usuário no Lightdm

Olá,

neste post irei mostrar um dica que achei bem interessante. Esses dias tive problemas em fazer o login em um máquina configurada com o NIS, ou seja, queria fazer o login com um usuário que não estava registrado localmente e simplesmente o Lightdm não me mostrava a opção de outro usuário. O problema foi resolvido rápido, com apenas uma linha alterada no arquivo de configuração correto.

Primeiro eu sai do modo gráfico apertando Ctrl + Alt + F1, loguei como root (para poder editar o arquivo de sistema, mas qualquer usuário local com permissão de super usuário resolve) e fiz o seguinte procedimento:

  • Abri o arquivo lightdm.conf
    vim /etc/lightdm/lightdm.conf
  • Adicionei esta entrada ao final do arquivo:  
    greeter-show-manual-login=true
  • Reinicie o modo gráfico:
    service lightdm restart

E pronto, lá estava a opção para entrar manualmente com o usuário.

Dicas ao iniciar o terminal no Debian e Ubuntu

E ai galera, tudo bem? Não tem como… sempre a gente volta as origens, sou fã do Debian e por mais que use outras distros sempre acabo voltando nele. Vai então uma dica bem legal do Debian ( que tambem serve para o ubuntu).

Quem gosta de testar varias  distribuições (assim como eu) já deve ter visto que em algumas aparecem dicas quando você inicia o terminal (Se não me falhe a memoria este recurso é padrão do linux mint).

Instalando alguns pacotes e configurando também podemos ter essas dicas ( para alegar nosso dia ) Bem vamos a instalação. Vamos precisar dos seguintes pacotes:

cowsay, fortunes-br, fortunes-debian-hints

No caso do Debian

sudo apt-get install fortunes-br fortunes-debian-hints cowsay

No ubuntu

 sudo apt-get install fortunes-br fortunes-debian-hints fortunes-ubuntu-server cowsay

Caso deseje tambem o fortunes-ubuntu-server no debian, para recer dicas do ubuntu

baixe o pacote http://packages.ubuntu.com/ca/lucid/fortunes-ubuntu-server

e instale.

Agora vamos adicionar uma entrada no arquivo bash.bashrc

sudo nano /etc/bash.bashrc

e adicione o comando

fortune

se quisermos dica sem presonagem

ou

fortune | cowsay

para uma vaca

ou

fortune | cowsay -f dragon

para uma vaca ou dragão.

ou qualquer um dos personagens abaixo:

apt, beavis.zen, bong, bud-frogs, bunny, cheese, cower, daemon, default, dragon, dragon-and-cow, elephant, elephant-in-snake, eyes, flaming-sheep, ghostbusters, head-in, hellokitty, kiss, kitty, koala, kosh, luke-koala, mech-and-cow, meow, milk, moofasa, moose, mutilated, ren, satanic, sheep, skeleton, small, sodomized, sodomized-sheep, stegosaurus, stimpy, supermilker, surgery, telebears, three-eyes, turkey, turtle, tux, udder, vader, vader-koala, www.

Ou uma mensagem que voce defina e com personagens randomicos:

# símbolos aleatórios com a mensagem: Debian pra sempre!
dir=’/usr/share/cowsay/cows/’
file=`/bin/ls -1 “$dir” | sort –random-sort | head -1`
cow=$(echo “$file” | sed -e “s/\.cow//”)
cowsay -f $cow Debian pra sempre!

Nesse caso debian para sempre!

Ou ainda, dicas e personagens aleatorios:

cowsay -f “`cowsay -l | tail -n6 | sed ‘s/ /\n/g’ | sort –random-sort | head -n1`” `fortune -s`

É isso ai pessoal,espero que se divirtam com os novos amiguinhos…

Abraço a todos

Quake

Instalar java “manualmente” no ubuntu 11.10 / 12.04

E ai galera tudo bem? Esse artigo é para iniciantes em Linux que estão tendo dificuldade com o java.

Com esse pinga, pinga do java, pulando de empresa para empresa os direitos autorais passaram a ser um problema para quem tem que utilizar o java, já que o java oficial (non-free) não faz parte dos repositorios do ubuntu.

Outro problema surge que alguns bancos e sites exigem o java oficial ( e nao o openjdk que esta disponível nos repositorios oficiais).

Uma solução facilmente achada na internet é utilizar  repositórios ppa, o que tem gerado vários problemas (inclusive comigo, onde muito trabalho para remover o pacote quebrado que havia pego de um ppa).

Uma maneira relativamente simples é instalar o java “manualmente”, bem mãos a obra entao.

Esse tutorial serve tanto para as versões 64 bits como 32 bits.Baixe o pacote certo.

Inicialmente vamos baixar o pacote java: Pode ser encontrado nesse link http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/overview/index.html

Nesse tutorial vamos instalar o pacote JRE, que é para o usuario comum do java e não o desenvolvedor de programas (JDK).

após baixar o pacote vamos descompactar na mesma pasta que baixamos:

tar xzf <versaojava>.tar.gz

O nome do arquivo muda de acordo com a versao do java.

para uma melhor compreensão do tutorial vamos renomear a pasta que extraimos (apenas para fins didadicos 🙂 ).

mv  <versaojava>  java7

Onde versão do java é o nome da pasta que voce descompactou.

Vamos agora mover a pasta:

sudo mv java7/ /usr/lib/jvm/

Agora vamos indicar para o sistema onde esta o java:

sudo update-alternatives --install /usr/bin/java java /usr/lib/jvm/java7/bin/java 1

Vamos indicar qual java o sistema deve usar ( se3 voce tiver mais que um java)

sudo update-alternatives --config java

Escolha a versão do  java de sua preferencia.

java -version

Para testar a instalação e ver que o java esta instalado.

Precisamos agora ligar um plugin ao navegador: nesse caso vamos criar um link simbólico:

sudo ln -s /usr/lib/jvm/java7/lib/i386/libnpjp2.so /usr/lib/mozilla/plugins/

pronto basta verificar se o java ta funcionando aqui

Espero ter ajudado abraço a todos

Quake

‘Tweak’ seu bash_history

Olá meus caros,

Antes de tudo, devemos saber que as atividades feitas em um terminal são salvas em um arquivo chamado .bash_history que fica na sua home. Por padrão ele armazena cerca de 500 linhas com os últimos comandos digitados. Quando o terminal é usado com frequência pode acontecer de você se lembrar que alguma vez já executou tal comando mas não lembra exatamente todas as suas entradas e quando tenta busca esse comando percebe que ele já não está mais em seu histórico. Neste post vou mostrar como algumas entradas no seu .bashrc pode ajudar nessas situações.

Antes de mais nada, aqui vão alguns comandos que eu acho úteis:

Fazer uma pesquisa no histório:

$ ctrl + r

e digite partes do comando, a busca é reversa, te mostrará as últimas entradas que contenham partes do que foi digitado.

Para executar o último comando contido no bash_history:

$ !!

Para executar o último comando que comece com determinado padrão:

$ !vi

executará o último comado que comece com ‘vi’.

Agora vamos à parte que interessa, para melhorar seu bash_history, adicione ao seu .bashrc estas entradas:

$ echo 'shopt -s histappend' >> ~/.bashrc

para quando você fechar a seção, os comando serem adicionados ao final do seu arquivo invés de serem sobrescritos.

$ echo 'unset HISTFILESIZE' >> ~/.bashrc

$ echo 'HISTSIZE=1000000'>> ~/.bashrc

para aumentar o número de entradas possíveis, mude o 1000000 para o tamanho que desejar.

$ echo "PROMPT_COMMAND='history -a; history -n' ">> ~/.bashrc

para armazenar imediatamente os comandos ao seu histórico.

$ echo "HISTTIMEFORMAT='%F %T '">> ~/.bashrc

para armazenar a data em que cada comando foi executado.

Esta foram as entradas que eu achei mais interessantes, para mais informações man bash.

Aqui está um vídeo com a ferramenta shelr mostrando os passos.

Grave e compartilhe seu terminal: Shelr

Olá,

Neste post vou mostrar um ferramenta muito interessante que se chama Shelr. Com ela você pode gravar e publicar alguma atividade no terminal. Ela funciona gravando todos os comandos que você digitar no terminal, depois ou você pode dar um replay ou publicar online.

Para instalar esta ferramente no Ubuntu teremos que adicionar um PPA:

$ sudo add-apt-repository ppa:antono/shelr

$ sudo apt-get update && sudo apt-get install shelr

Para usar, basta abrir um terminal e digitar

$ shelr record

Após digitado o comando acima, as próximas coisas feitas no terminal serão gravadas. Quando quiser terminar a gravação ou tecle Ctrl + D ou digite exit e depois pressione Enter, isso gerará um arquivo com os comando digitados em ~/.local/share/shelr.

Para obter uma lista de scripts com seus respectivos ID’s digite

$ shelr list

Se estiver interessado em reproduzir os comandos novamente

$ shelr play ID

onde o campo ID refere-se ao ID obtido pelo comando anterior.

Para publicar o script mais recente,

$ shelr push last

assim você pode tanto criar uma conta no site Shelr.tv  ou publica anonimamente.

Para publicar um script que não seja o ultimo

$ shrel push ID

novamente, o campo ID refere-se ao ID obtido pelo comando list.

Espero que vocês tenham gostado, a partir de agora tentarei usá-lo nos posts subsequentes!

Aqui está um exemplo: http://shelr.tv/records/4f95f35f966080443100001c